31 mar

Na Garganta do Artista é o novo CD de Rodrigo Piva

Posted by piva Categories: Destaque, noticias, Releases
Ilustração do CD

Ilustração da capa do CD, de autoria do artista plástico paulistano Roberto Bieto

O cantor e compositor Rodrigo Piva traz em seu terceiro álbum, Na Garganta do Artista, uma música genuinamente brasileira, estruturada pelo samba, choro e bossa nova, com pitadas de xote e tango. No repertório, 12 canções de sua autoria, arranjadas  em parceria com o violonista  Luiz Sebastião Juttel, que também assina a produção do CD.

A música que dá nome ao disco, Na Garganta do Artista, comprova a vertente sambista do compositor: Samba, de Ary, Tom e Vinicius no balanço do passista… equilibrista… Samba, sobrevive na garganta do artista... É nesta faixa que Rodrigo reafirma a brasilidade de seu trabalho, com o bom e velho samba, que aprendeu a admirar ao lado do avô Túlio Piva – compositor de sucessos como Tem Que Ter Mulata, Gente da Noite e Pandeiro de Prata, eternizados nas vozes de Elis Regina, Elza Soares, Demônios da Garoa, Jair Rodrigues e outros.

O humor é outra marca deste álbum. Está presente na música Não Adianta Pedir, em que ele brinca com a Lei Seca, que transformou (ou tenta transformar) os costumes do brasileiro em relação à bebida; e no Tango do Pelego, no qual a figura homenageada é o “fura-greve”, mais conhecido por “pelego”. Nesta gravação, Rodrigo contou com a participação de dois legítimos tangueiros argentinos: Pablo Grego (bandoneon) e Pablo Lazarte (violão).

Grandes compositores como Noel Rosa, Jacob do Bandolim, Tom Jobim e Pixinguinha sempre foram a principal fonte de inspiração de Rodrigo Piva. E isso é externado no Samba no Segundo Andar, quando ele dialoga com os mestres da MPB:  Eu perguntei ao Noel qual é o tom? E ele me disse: Jobim! E a parceria no céu começou, um samba feito pra mim… Nessa faixa, o compositor canta ao som do inconfundível bandolim do irmão Rogério Piva,  que se harmoniza perfeitamente à concepção do arranjo. Os irmãos também entram em sintonia de voz e instrumento em Choro Guia, dedicado ao choro brasileiro e seus instrumentistas.

À cidade que o acolheu há 20 anos, ele faz uma linda homenagem na bossa Você Já Foi a Floripa? Nessa música, Rodrigo descreve as belezas da Ilha e canta: Quem nunca foi à Floripa, não sabe onde fica o meu coração… Merece destaque, ainda, a canção escrita originalmente em francês, Dans Tes Yeux (faixa 9), na qual o autor divide o vocal com a intérprete catarinense Izabela Soares.

Foi no estúdio Samburá Sonoro, em Florianópolis, que Rodrigo Piva produziu este novo trabalho, que conta com a participação de 15 instrumentistas. Entre eles, Bebê Kramer (acordeon), Luiz Gustavo Zago (piano), Luiz Sebastião (violão de 7 cordas), Carlos Ribeiro Júnior (baixo), Cristian Faig (flauta), Chico Camargo (cavaquinho), Fidel Piñero (flugelhorn), Marco Aurélio (trombone), Eduardo da Costa, Eduardo Seara e Alexandre Damaria (percussão) e Mauro Borghezan (bateria).

“Selecionei músicos que atuam em Santa Catarina como uma maneira de valorizar os excelentes profissionais que temos por aqui”, destaca Rodrigo. As gravações foram feitas entre janeiro e julho de 2010, viabilizadas pelo incentivo cultural do Edital Elisabete Anderle, promovido pelo Governo do Estado de Santa Catarina.

O projeto gráfico do CD, a cargo do designer Rodrigo Poeta, segue o mesmo padrão de qualidade. Para esse trabalho, foram utilizadas duas belíssimas telas do artista plástico e grafiteiro paulistano Roberto Bieto (Roda de Bamba e O Samba Nunca Foi de Arruaça).

Outras informações no site: www.rodrigopiva.com.br

 

Share on Facebook
Deixe uma resposta
  1. XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>